História

O Conservatório – Escola Profissional das Artes da Madeira, Eng.º Luiz Peter Clode, é um estabelecimento de ensino profissional e especializado nas diferentes áreas das artes performativas (música, teatro e dança), e tem como missão for­mar a sociedade para as artes, promovendo o ensino e a divulgação das artes de palco.

No início do séc. XX, a população residente na Madeira, nomeadamente no Funchal, sentia a necessidade de uma oferta cultural na área da música, uma vez que por questões de descontinuidade territorial essa oferta rareava. Assim, alguns elementos desta sociedade organizaram-se em Abril de 1943 naquilo a que se chamou a “Sociedade de Concertos” que tinha por objetivo a contratação de músicos para a realização de concertos no Funchal. Era também notória a falta de escolas que pudessem desenvolver o gosto e o ensino da música.

Busto de Luiz Peter Clode, na sede do Conservatório

É assim, que por iniciativa do Eng.º Luiz Peter Clode se funda, em 1946, a Academia de Música da Madeira, mais tarde convertida em Academia de Música e Belas Artes da Madeira, associando deste modo várias formas de arte. Estava assim encontrado um modo de promover o gosto pelas artes, e facultar aos interessados a aprendizagem nas áreas que lhes interessassem, ficando habilitados, através dos cursos ministrados naquela academia, a entrarem no mercado de trabalho.

Após Abril de 1974, iniciou-se o processo de regionalização de serviços centrais, e formou-se o Governo da Região Autónoma da Madeira. É então que, em 1977 a Academia de Música e Belas Artes da Madeira se converte no Conservatório de Música da Madeira. Em 1986, o ensino da música é regionalizado, ficando sob a tutela da Secretaria Regional da Educação e esta escola passa a chamar-se Escola Secundária de Ensino Artístico, onde são ministrados cursos no domínio da Música.

Luiz Peter Clode a tocar piano, instrumento que ocupou um papel importante no seu quotidiano, s.d., ABM, espólio LPC, cx. 2, n.º 86.
Luiz Peter Clode, enquanto estudante de engenharia em Coimbra, [1923], ABM, espólio LPC, cx. 2, n.º 67.

Em Março de 2000, e por necessidade de se criarem na R.A.M. cursos profissionais nas diferentes áreas das artes performativas, que pudessem lançar para o mercado profissionais destas áreas, constitui-se o Conservatório – Escola Profissional das Artes da Madeira, que continua a lecionar os cursos tradicionais de Conservatório, mas também e agora cursos profissionais (Instrumentista de Cordas e Teclas, Instrumentista de Sopros e Percussão, Instrumentista de Jazz, Artes do Espetáculo – Interpretação e Intérprete de Dança Contemporânea) que proporcionam aos alunos certificados de habilitação profissional de nível IV e equivalência ao 12º ano, proporcionando-lhes, também, o acesso ao ensino superior.

No âmbito do Ensino Artístico Especializado, admite alunos desde os cinco anos, para iniciação musical, onde o aluno é motivado para o ritmo, a musicalidade, e escolha do instrumento musical que melhor se lhe adapta e de que mais gosta, permitindo preparar-se para o ingresso no Curso Básico de Música.

Pólos e núcleos do Conservatório

Os alunos do Conservatório beneficiam de uma oferta de ensino inigualável na Região Autónoma da Madeira, contando com doze polos e núcleos (Bom Jesus, Calheta, Cama­cha, Câmara de Lobos, Caniço, Levada, Machico, Ponta do Sol, Ribeira Brava, Santana, São Vicente) espalhados pelos vários concelhos da ilha e um na Ilha do Porto Santo, a fim de garantir a acessibilidade aos cursos ministrados.

No Conservatório – Escola Profissional das Artes da Madeira, Eng.º Luiz Peter Clode, nome que adotou em 2004 em homenagem ao seu fundador, por deliberação do Governo Regional da Madeira, realizam-se regularmente audições escolares, concertos, espetáculos de dança e de teatro, cursos de aperfeiçoamento nos diversos instrumentos, workshops de jazz e de dança, motivando e refletindo o trabalho dos alunos no decorrer do ano letivo.

Peça de teatro - "O Lago"
Espetáculo "O Gigante"